SAIBA COMO FUNCIONA O

4° Simulado Nacional - Área Fiscal

quarta-feira, 11 de maio de 2016

Assembleia Legislativa/MS - Organizadora definida! Edital até junho

Uma das pendências para a realização do primeiro concurso da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul foi finalmente resolvida. A Mesa Diretora já definiu a empresa que será responsável pela seleção: a Fundação Carlos Chagas (FCC), escolhida por apresentar a melhor proposta em cotação de preços, entre as maiores empresas de concursos do país. A AL-MS também realizou a cotação com a Fundação Getúlio Vargas (FGV) e o Cespe/UnB.
 
No início de abril, foi publicado o resultado do pregão presencial, na modalidade de menor preço global, que classificou a empresa Oppus Concursos Públicos em primeiro lugar no leilão de preços. No entanto, na última sexta-feira, dia 6, esse resultado foi anulado, já que em função do valor da Oppus estar muito abaixo do preço de referência, foi aberto prazo para que a vencedora comprovasse a exequibilidade da proposta.
"A proposta vencedora do pregão se mostrou inexequível. O levantamento dos custos mostrou que era impraticável aquele valor. Temos que tratar com muita responsabilidade o nosso primeiro concurso público. Em função de um vício insanável que maculou o edital, decidimos anulá-lo e contratar de forma direta uma das melhores instituições do país. Com a Fundação Carlos Chagas teremos garantida a lisura deste processo que pode envolver mais de cinco mil candidatos, pela nossa estimativa", afirmou o deputado Zé Teixeira, primeiro secretário da Casa de Leis.

 
A transparência e lisura do concurso parecem ser uma grande preocupação da Assembleia. As etapas do processo estão sendo acompanhadas por representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MS) e do Ministério Público do Estado (MPE-MS). "A nossa maior preocupação sempre foi a transparência. A anulação do processo, prejudicado por uma proposta que claramente não poderia ser executada e por uma imperfeição no edital, e a posterior escolha da Fundação Carlos Chagas demonstram que a Mesa Diretora não vai permitir dúvidas sobre a seriedade deste concurso. Afinal de contas, vamos selecionar servidores que terão a responsabilidade de garantir a qualidade técnica dos trabalhos desta Casa de Leis, apoiando os deputados na missão de atender as expectativas da sociedade sul-mato-grossense", declarou o deputado Junior Mochi, presidente da AL-MS.


A seleção, que terá seu edital até junho, trará a oferta de 80 vagas em cargos efetivos, de níveis médio e superior. Nesta primeira escolaridade, haverá oportunidades nas funções de auxiliares de nível médio - agente técnico legislativo, técnico de sistema, informática, arquivista, auxiliar de enfermagem e assistente legislativo. No nível superior haverá chances para administrador, biblioteconomista, advogado, assistente social, contador, economista, médico, nutricionista, psicólogo, analista em RH, engenheiro de sistemas, arquiteto, jornalista, publicitário, relações publicas, revisor, redator, entre outras. As remunerações variam entre R$3 mil a R$5 mil, além do acréscimo dos benefícios como plano de saúde, auxílio transporte e insalubridade, dependendo do setor.
 
Segundo o presidente do Sisalms, Nailor Vargas Marcondes de Souza, devido à aposentadoria incentivada aos servidores efetivos, que completaram seu tempo para aposentar, 110 servidores saíram de diversas áreas da casa legislativa. "Na minha opinião, deveria abrir inscrição para 200 servidores em todos os níveis, pois há um diagnóstico de carência do quantitativo de cargo e setor", afirmou. 

0 comentários:

Postar um comentário